Caracterização de Frozen Yogurt a partir de iogurte em pó de leite de ovelha

Elisângela De Abreu, Alexandra Manzoli, Jamile Zeni, Clarice Steffens, Juliana Steffens

Resumo


A busca do consumidor por alimentos saudáveis e diferenciados tem despertado o interesse e incentivado a constante atualização dos profissionais que atuam na pesquisa e desenvolvimento de novos produtos. O leite de ovelha é um alimento com alto teor de sólidos totais, dentre eles proteína e cálcio. A produção de derivados de leite de ovelha ainda é baixa, neste sentido, com o intuito de expandir o mercado e a gama de produtos derivados desta matéria prima, desenvolveu-se formulações de Frozen Yogurt a partir do iogurte em pó de leite de ovelha por meio de planejamento experimental 2² com triplicata no ponto central. As variáveis estudadas foram emulsificante/estabilizante (0,50%, 0,75% e 1,00%) e pó preparo para creme (2,75%, 3,00% e 3,25%) e obtidas como respostas as características físico-químicas. Verificou-se que o pó preparado para creme apresentou efeito significativo positivo com 95% de confiança nos teores de proteína, lactose, cálcio e acidez e efeito significativo negativo no pH.


Palavras-chave


Leite de ovelha, Iogurte em pó, Frozen Yogurt

Referências


Alves LL; Richards NSPS, Becker LV, Andrade DF, Milani LI, Rezer APS & Scipioni, GC (2009) Aceitação sensorial e caracterização de frozen yogurt de leite de cabra com adição de cultura probiótica e prebiótico. Ciência Rural, Santa Maria, on-line.

Al-Saleh AA, Metwalli AAM & Ismail EA (2011) Physicochemical properties of probiotic frozen yoghurt made from camel milk. International Journal of Dairy Technology, 64:557–562.

AOAC (2000) Association of Official Analytical Chemists. Official methods of analysis, v.1 and 2. 17th ed. Gaithersburg, MD. 1170p.

AOAC (1995) Association of Official Analytical Chemists. Official methods of analysis: of AOAC international. 16th ed. Arlington VA, USA. 1141p.

AOAC (1990) Association of Official Analytical Chemists. Official methods of analysis analysis. 15.ed. Washington, USA. p. 1105 -1106.

Basyigit G, Kuleasan H, Karahan AG (2006). Viability of human-derived probiotic lactobacilli in ice cream produced with sucrose and aspartame. Journal of Industrial Microbiology and Biotechnology, 33:796–800.

Brasil. Instrução Normativa n. 68, de 12 de dezembro de 2006. Diário Oficial da República Federativa do Brasil, Brasília, p.08, 14 dez. 2006. Seção I.

Brasil. Regulamento técnico para fixação de identidade e qualidade de gelados comestíveis e, preparados para gelados comestíveis, pós para o preparo e bases para gelados comestíveis. Resolução RDC n. 266 de 22 de setembro de 2005a. Diário Oficial da União, Poder Executivo, Brasília, DF. 2005.

Brasil. Ministério da Saúde. Resolução RDC nº 269, de 22 de setembro de 2005b. Aprova o Regulamento Técnico sobre Ingestão Diária Recomendada (IDR) de Proteína, Vitaminas e Minerais. Diário Oficial da União; República Federativa do Brasil, Brasília (DF); 23 set 2005.

Brasil. Ministério da Saúde. Agência de Vigilância Sanitária. Resolução – RDC n.º 269, de 22 de setembro de 2005b. Regulamento técnico sobre a ingestão diária recomendada (IDR) de proteína, vitaminas e minerais. Diário Oficial da União, Brasília, 23 set. 2005, Seção 1, p. 372.

Brasil. Instrução Normativa Nº 46 de 23 de outubro de 2007. Regulamento Técnico de Identidade e Qualidade de Leites fermentados. Diário Oficial da União, 24 de outubro de 2007.

Clarke C. (2004) The Science of ice cream. CambridgeRoyal Society of Chemistry, p.177-179.

Cook KLK & Hartel RW (2010) Mechanisms of ice crystallization in ice cream production. Comprehensive Reviews in Food Science and Food Safety, 9(2): 213-222.

Corte FFD (2008) Desenvolvimento de Frozen Yogurt com propriedades funcionais. Dissertação (Mestrado em Ciência e Tecnologia dos Alimentos) – Universidade Federal de Santa Maria, 100p.

Costa FF (2008) Efeitos da fortificação com cálcio na estrutura de sorvetes. Tese (Doutorado em Ciências dos Alimentos) – Universidade Federal de Lavras, Lavras. 67p.

Damunupola DAPR, Weerathilake WADV & Sumanasekara GS (2014) Evaluation of quality characteristics of goat milk yogurt incorporated with beetroot juice. International Journal of Scientific and Research Publications, 4 (10):1-5.

Davidson RH, Duncan SE, Hackney CR, Eigel WN & Boling JW (2000) Probiotic culture survival and implications in fermented frozen yogurt chacacteristics. Journal of Dairy Science, 83(4):666-673.

Foschiera JL (2004) Indústria de laticínios: industrialização do leite, análises, produção de derivados. Porto Alegre: Suliani Editografia Ltda, 88p.

Goff HD (1997) Colloidal aspects of ice cream: a review. Int Dairy, 7(6-7):363-73.

Gonçalves AA, Eberle IR (2008) Frozen yogurt com bactérias probióticas. Alimentos e Nutrição. 19(3):291-297.

Hilali M, Iñiguez L, Knaus W, Schreiner M, Wurzinger M & Mayer HK (2011) Dietary supplementation with nonconventional feeds from the Middle East: Assessing the effects on physicochemical and organoleptic properties of Awassi sheep milk and yogurt. American Dairy Science Association, 94(12):5737-49.

INTERNATIONAL DAIRY FEDERATION (FIL-IDF) Standard 28A. Determination of the lactose content of cheese and processed cheese products. Brussels, 1974.

International Dairy Federation (FIL-IDF). 1986 Cheese and processed cheese products. Determination of fat content gravimetric method (reference method). IDF – FIL 5 – B: 1986. 7p.

Isik U, Boyacioglu D, Capanoglu E & Erdil DN (2011) Frozen yogurt with added inulin and isomalt. American Dairy Science Association.94:1647-1656.

Katsiari MC, Voutsinas LP & Kondyli E (2002) Manufacture of yoghurt from stored frozen sheep’s milk. Food Chemistry,77:413-420.

Koç B, Sakin-Yılmazer M, Kaymak-Ertekin F, Balkır P (2014) Physical properties of yoghurt powder produced by spray drying. Food Sci Technol, 51(7):1377-1383.

Krasaekoopt W & Bhatia S (2012) Production of yogurt powder using foam-mat drying, AU J.T, 15(3):166–171.

Marshall RT & Arbuckle WS (1996). Ice Cream. 5th ed. New York, Chapman and Hall. 364p.

Martínez EJL, Córdova F, Medina AR & Barrales PO (2012) Analysis of 20 trace and minor elements in soy and dairy yogurts by ICP-MS. Microchemical Journal, 102:23-27.

Medeiros ACL (2013) Iogurte caprino probiótico em pó: estudo do processo de secagem, da caracterização do pó e da viabilidade do probiótico. Dissertação (Mestrado em Ciências) – Faculdade de Zootecnia e Engenharia de Alimentos - Universidade de São Paulo, Pirassununga. 70p.

Mishra NH, Kumar P (2004) Yoghurt power – a review of process technology, storage and utilization. Food and Bioproducts Processing, 2004.

Mckusick BC, Thomas DL, Berger YM & Marnet PG (2002) Effect of milking interval on alveolar versus cisternal milk accumulation and milk production and composition in dairy ewes. Journal of Dairy Science, 85(9):2197-2206.

Oliveira RR de (2013) Desenvolvimento de frozen yogurt funcionais linha “clean label” adicionados de corantes naturais de betalaína e bixina. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação). Universidade Tecnológica Federal do Paraná, Campo Mourão,79p.

Oliveira ENA, Da Costa SD, De Souza FC, Martins JN & De Oliveira SPA (2010) Obtenção de ubaia desidratada pelo processo de liofilização. Revista Brasileira de Tecnologia Industrial, 4(2):235-242.

Ordóñez Juan A (2005) Tecnologia de alimentos: alimentos e origem animal. Porto Alegre, Artmed. 280p.

Park YW (2007) Rheological characteristics of goat and sheep milk. Small Ruminant Research, 68 (1):73–87.

Patel K, Chen XD, Jeantet R, Schuck P (2010) One-dimensional simulation of co-current, dairy spray drying systems – pros and cons. Dairy Science and Technology, Rennes, 90(1):181-210.

Pimentel TC (2009) Iogurte probiótico com inulina como substituto de gordura. Dissertação (Mestrado em Ciência de Alimentos) - Universidade Estadual de Londrina, Londrina. 179p.

Pinto SS, Carlise BF-F, Muñoz IB, Barreto PLM, Prudêncio ES & Amboni RDMC. (2012) Effects of the addition of microencapsulated Bifidobacterium BB-12 on the properties of frozen yogurt. Journal of Food Engineering 11:563–569.

Ribeiro EP & Seravalli EAG (2007) Química de alimentos. 2. ed. rev. São Paulo, Edgard Blücher.

Ribeiro LC (2005) Produção, composição e rendimento em queijos do leite de ovelha Santa Inês. Dissertação (Mestrado em Zootecnia) – Universidade Federal de Lavras, Lavras. 64p.

Salvador A, Fiszman SM, Curia A & Hough G (2005) Survival analysis applied to sensory shelf life of yogurts – II: Spanish formulations. Journal of Food Science, 70 (7):446-449.

Schmidt KA, Kim J & Jeon IJ (1997). Composition of carbohydrates and concentration of β-galactosidase of commercial frozen yogurt. J. Food Qual, 20:349–358.

Senaka RC, Evans C, Adams MC, Baines SK (2013) Production of probiotic ice cream from goats milk and effect of packaging materials on product quality. Small Rumin Res 112(1–3):74–180.

Serafeimidou A, Zlatanos S, Kritikos G & Tourianis A (2013), Change of fatty acid profile, including conjugated linoleic acid (CLA) content, during refrigerated storage of yogurt made of cow and sheep milk. Journal of Food Composition and Analysis, 31, p:24-30.

Souza JCB, Costa MR, Rensis CMVB, Sivieri K (2010) Sorvete: Composição, processamento e viabilidade da adição de probiótico. Alimentos e Nutrição, 21(1):155-165.

Sulaksono AC, Kumalaningsih S, Wignyanto, IS (2013) Production and processing of yoghurt powder using foam-mat drying. Food and Public Health, 3(5):235-239.

Tamime AY & Robinson RK (1991) Yogur: ciencia y tecnologia, Zaragoza. Acribia, 368p.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.