Crescimento inicial do milho em resposta à aplicação de fosfato de rocha, vermicomposto e bactérias endofíticas

LILIAN ESTRELA BORGES BALDOTTO, Luiz Gonzaga Jr. Santos Silva, Luciano Pasqualoto Canellas, Fábio Lopes Olivares, Marihus Altoé Baldotto

Resumo


Devido à alta exigência energética e demanda por recursos não renováveis para a produção de fertilizantes químicos, somadas, ainda, ao impacto ambiental provocado pelo uso de tais produtos, é importante a intensificação de pesquisas com insumos agrícolas de base biológica. O uso de bactérias endofíticas fixadoras de nitrogênio e solubilizadoras de fosfatos pode disponibilizar esses nutrientes para as plantas a partir do ar e de fontes fosfatadas pouco solúveis, como fosfatos de rochas. O objetivo deste trabalho foi avaliar a nutrição e o crescimento inicial de milho (Zea mays L.) em resposta à inoculação de bactérias endofíticas fixadoras de nitrogênio e solubilizadoras de fosfato de rocha, em formulação simples ou mista, aplicadas com vermicomposto. As plantas de milho dos tratamentos contendo bactérias, tanto as diazotróficas quanto as solubilizadoras de fosfato, quando comparadas às do controle, apresentaram maiores teores foliares de nitrogênio e fósforo no milho, acompanhados por características de crescimento mais elevadas. A aplicação de vermicomposto apresentou efeito sinérgico quando combinada com as bactérias endofíticas. Dessa forma, a inovação da combinação dos fatores estudados pode contribuir para o desenvolvimento inicial do milho.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.