Conservação pós-colheita de morangos orgânicos, tratados com choque térmico e ácido salicílico

SIDIANE COLTRO, Laline Broetto, Maria Cristina Copelo Rotilli, Alice Jacobus de Moraes, Fabiane Karine Barp, Gilberto Costa Braga

Resumo


O choque térmico e o uso do ácido salicílico têm sido estudados como técnicas de extensão da vida útil de frutos. A ação benéfica dessas técnicas tem sido relacionada com seus efeitos na indução de respostas fisiológicas de defesa contra estresses oxidativos e desenvolvimento de patógenos. O objetivo deste trabalho foi avaliar o efeito do choque térmico e do ácido salicílico na conservação pós-colheita e nos teores de compostos fenólicos totais, antocianinas, ácido ascórbico, perda de matéria fresca e qualidade microbiológica de frutos de morangos ‘Dover’, produzidos organicamente e armazenados a 5 ºC. Os morangos foram submetidos aos tratamentos de choque térmico (45 ºC ± 3 ºC, por 3 h), aplicação de ácido salicílico (imersão em solução aquosa 2,0 mmol L-1), combinação de choque térmico com ácido salicílico e controle. Após tratamento, os frutos foram embalados e armazenados em câmara climatizada, a 5 ºC ± 2 ºC. Em intervalos de 1, 7 e 14 dias, as unidades experimentais foram retiradas da refrigeração e mantidas em ambiente a aproximadamente 20 ºC, por dois dias. Não houve influência dos tratamentos sobre a perda de matéria fresca e a incidência de patógenos ou variações químicas em frutos de morango, durante o período de armazenamento. Naturalmente, os morangos produzidos organicamente mantiveram-se em boas condições para a comercialização até sete dias de armazenamento, em todos os tratamentos.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.