Reação de genótipos de feijão a Meloidogyne incognita raça 1 e a Meloidogyne javanica

Cleiton Lourenço de Oliveira, Natália Souza Oliveira, Márcia Souza de Oliveira, Vicente Paulo Campos, Wilson Roberto Maluf, Luiz Antônio Augusto Gomes

Resumo


A identificação de genótipos de feijão resistentes aos nematoides das galhas pode ser útil aos programas de melhoramento do feijoeiro. Objetivou-se com esse trabalho verificar a reação de genótipos de feijão aos nematoides das galhas M. incognita raça 1 e M. javanica. Dois ensaios independentes para avaliação da reação de resistência a Meloidogyne incognita raça 1 e Meloidogyne javanica foram realizados com cinquenta e oito genótipos de feijão e seis genótipos de feijão vagem. O delineamento foi em blocos casualizados com três repetições e parcelas de duas plantas. As plantas foram inoculadas com 10.000 ovos por planta aos quinze dias após a germinação. Aos quarenta e cinco dias após a inoculação, o sistema radicular de cada planta foi colhido e submetido à extração dos ovos. Foram obtidos dados de número de ovos por grama de raiz e calculados o Fator de Reprodução e a Redução do Fator de Reprodução. O comportamento dos genótipos divergiu entre os ensaios, indicando diferentes reações de resistência conforme a espécie de nematoide avaliada. Os genótipos VP-25 e BRS Valente foram considerados resistentes a M. incognita raça 1. Os genótipos Aporé, Ouro Vermelho, Radiante e CNFP 10793 apresentaram bons resultados de resistência tanto a M. incognita raça 1 quanto a M. javanica, podendo servir como fontes de resistência para programas de melhoramento. Houve correlação significativa entre massa de raiz e número de ovos. A correlação entre reprodução do nematoide e massa de parte aérea foi nula.


Palavras-chave


Phaseolus vulgaris; nematoide das galhas; resistência

Referências


Aidar H (2003) Cultivo do feijoeiro comum. Santo Antônio de Goiás: Embrapa Arroz e Feijão.

Almeida AMR, Ferreira LP, Yorinori J, Silva JFV & Henning AA (1997). Doenças da soja. In: Kimati H, Amorin L, Bergamin A, Aranha LEA & Rezende JAM. (Eds.). Manual de fitopatologia: doenças de plantas cultivadas. São Paulo: Agronômica Ceres. v. 2, p. 596-617.

Baida FC, Santiago DC, Takahashi LSA, Athanázio JC, Cadioli MC & Levy RM (2011) Reação de linhagens de feijão-vagem ao Meloidogyne javanica e M. paranaensis em casa-de-vegetação. Acta Scientiarum. Agronomy, 33:237-241.

Bonetti JIS & Ferraz S (1981) Modificação do método de Hussey & Barker para extração de ovos de Meloidogyne exigua de raízes de cafeeiro. Fitopatologia Brasileira, 6:553.

Charchar JM (1995) Meloidogyne em hortaliças. In: Congresso Internacional de Nematologia Tropical; Congresso da Sociedade Brasileira de Nematologia, 19; Encontro Anual da Organização dos Nematologistas da América Tropical, 27, Rio Quente. Programa e Anais, SBN/ONTA. p. 149-153.

Cook R & Evans K (1987) Resistance and tolerance. In: Brown RH & Kerry BR (Eds.) Principles and Practice of Nematode Control in Crops. Academic Press, London, UK, p. 179-231.

Cook R & Starr JL (2006) Resistant cultivars. In: Perry RN & Moens M (Eds.) Plant Nematology. CABI, Wallingford, Oxon, UK, p. 370-391.

Food and Agriculture Organization of the United Nations. Disponível em Acesso em 08 de julho de 2013.

Ferraz CCB & Monteiro AR (1995) Nematoides. In: Bergamin Filho A, Kimati H & Amorim L (Eds.). Manual de fitopatologia: princípios e conceitos. 3ª ed. São Paulo: Agronômica Ceres, v. 1, p. 168-201.

Ferreira, D.F. SISVAR: Sistema para análise de variância de dados balanceados (2003) v.4.3. Lavras: UFLA.

Ferreira S, Gomes LAA, Maluf WR, Campos VP, Carvalho Filho JLS & Santos DC (2010) Resistance of common bean and snap bean cultivars to root-knot nematodes. HortScience, 45:320-322.

IBGE (2017) Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Indicadores IBGE. Disponível em:htp://ftp.ibge.gov.br/Producao_Agricola/Fasciculo_Indicadores_IBGE/estProdAgr_201701.pdf>. Acessado em: 17 de julho de 2017.

Moura AM & Moura RR (1994) Comportamento de genótipos de Phaseolus vulgaris em relação aos nematoide Meloidogyne incognita raça 1 e M. javanica. Nematologia Brasileira, 18:50-54.

Moura RM & Regis EMO (1987) Reações de feijoeiro comum (Phaseolus vulgaris) em relação ao parasitismo de Meloidogyne javanica e M. incognita (Nematoda: Heteroderidae). Nematologia Brasileira, 10:215-225.

Pedrosa EMR, Moura RM & Silva EG (2000) Respostas de genótipos de Phaseolus vulgaris a meloidoginoses e alguns mecanismos envolvidos na reação. Fitopatologia Brasileira, 25:190-196.

Pereira JM, Vieira RF & Marrara LO (2002) Reação de cultivares e linhagens de feijão à murcha-de-fusarium. Revista Ceres, 49:71-74.

Scott A & Knott M (1974) Cluster-analysis method for grouping means in analysis of variance. Biometrics, 30:507-512.

Silva JV & Campos HD (2002) Reação de cultivares de feijão a nematoides de galhas. In: Congresso Nacional de Pesquisa de Feijão, 7, Viçosa, MG. Resumos expandidos, Viçosa: Universidade Federal de Viçosa, p.102.

Silva FB, Ramalho MAP & Abreu AFB (2005) Genetic control of Meloidogyne incognita resistance in common bean. Annual Report of the Bean Improvement Cooperative, 48:64-65.

Simão G, Homechin M, Santiago DC, Silva RTV & Ribeiro ER (2005) Comportamento de duas cultivares de feijoeiro em relação a Meloidogyne javanica. Ciência Rural, 35:266-270.

Wesemael WML & Moens AM (2012) Screening of common bean (Phaseolus vulgaris) for resistance against temperate root-knot nematodes (Meloidogyne spp.). Pest Management Science, 68:702-708.

Williamson VM & Roberts PA (2009) Mechanisms and genetics of resistance. In: Perry RN, Moens M & Starr JL. Root-knot Nematodes, CABI, Wallingford, Oxon, UK, p. 301–325.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.