Biofortificação agronômica de cenouras com diferentes fontes e doses de zinco

Jassana Moreira Floriano, Simone Noremberg Kunz, Paulo Jorge de Pinho, Carla Tuparai Casabonnet, Edina da Luz Abreu, Eduardo Bohrer de Azevedo

Resumo


A deficiência de zinco (Zn) no solo e plantas e seu baixo estado nutricional na população estimulam estudos sobre biofortificação agronômica. A cenoura tem potencial para biofortificação, pois é um vegetal comumente consumido. O objetivo deste estudo foi avaliar as fontes de Zn (ZnO, ZnSO4 ou ZnEDTA) e a dose (0, 5, 10, 20 or 30 mg dm-3) aplicadas no solo a fim de aumentar a concentração do mineral na parte comestível da cenoura. ZnSO4 foi mais adequado para a biofortificação, porque apresentou maior acúmulo com o aumento da dose de tratamento. A melhor dose foi 19.45 mg dm-3 de ZnSO4, a qual apresentou maior nível de Zn. Além disso, este tratamento aumentou o Zn na raiz em 7 vezes comparado com o controle. A cenoura é um vegetal com potencial para a biofortificação com Zn sendo assim consumida como fonte deste elemento, garantindo baixo custo de produção e redução da deficiência deste micronutriente na nutrição populacional.


Palavras-chave


Daucus carota L.; biofortificado, deficiência nutricional, micronutriente.

Referências


ABNT. Associação Brasileira de Normas Técnicas (1997) Água - Determinação de ferro - Método colorimétrico da ortofenantrolina, NBR 13934, 3p.

Alloway BJ (2009) Soil factors associated with zinc deficiency in crops and humans. Environmental Geochemistry and Health, 31:537-548.

Andrade AFM, Amaral SNMB, Magalhães MOL, Nascimento VS & Mazur N (2008) Zinco, chumbo e cádmio em plantas de arroz (Oryza Sativa L.) cultivadas em solo após adição de resíduo siderúrgico. Ciência Rural, 38:1877-1885.

Andrade MM (2010) Introdução à metodologia do trabalho científico: elaboração de trabalhos de graduação. São Paulo, Atlas. 160p.

Brasil (2010) Pesquisa de Orçamentos Familiares 2008-2009: despesas, rendimentos e condições de vida. Rio de Janeiro: IBGE Coordenação de Trabalho e Rendimento, 215p.

Brasil (2000) Programa brasileiro para a melhoria dos padrões comerciais e embalagens de hortigranjeiros - Classificação de Cenoura. Disponível em: Acessado em: 06 de abril de 2016.

Cakmak I (2008) Enrichment of cereal grains with zinc: agronomic or genetic biofortification? Plant Soil, 302:1-17.

Cakmak I, Pfeiffer WH & Mcclafferty B (2010) Biofortification of durum wheat with zinc and iron. Cereal Chemestry Journal, 87:10-20.

Couto DR, Scardua MD & Chimalli T (2011) Pesquisa de Campo Versus Pesquisa de Laboratório. Jerônimo Monteiro, UFES. 19p.

Cunha KPV, Nascimento CWA, Pimentel RMM, Accioly AMA & Silva AJ (2008) Disponibilidade, acúmulo e toxidez de cádmio e zinco em milho cultivado em solo contaminado. Revista Brasileira de Ciência do Solo, 32:1319-1328.

DRI. Food & Nutrition Board (2001) Dietary Reference Intakes: Dietary reference intakes for vitamin A, vitamin K, arsenic, boron, chromiun, copper, iodine, iron, manganese, molybdnum, nickel, silicon, vanadium, and zinc. Washington, National Academy of Sciences. 489p.

Erenoglu E, Kutman UB, Ceylan Y, Yildiz B & Cakmak I (2010) Improved nitrogen nutrition enhances root uptake, root-to-shoot translocation and remobilization of zinc (65Zn) in wheat. New Phytologist, 189:438-448.

Fraige K, Crespilho FN & Rezende MOO (2007) Determinação de zinco em solo utilizando colorimetria. Química Nova, 30:588-591.

Gibson RS, Hess SY, Hotz C & Brown KH (2008) Indicators of zinc status at the population level: A review of the evidence. British Journal of Nutrition, 99:14-23.

Henriques AR, Chalfun-Junior A and Aarts M (2012) Strategies to increase zinc deficiency tolerance and homeostasis in plants. Brazilian Journal of Plant Physiology, 24:3-8.

Hoagland DR & Arnon DI (1950) The waterculture method for growing plants without soil. Circular - California Agricultural Experiment Station, 347:23-32.

Kabata-Pendias A & Mukherjee AB Trace Elements of Group 12 (Previously Group IIb). In: Kabata-Pendias A & Mukherjee AB (2007) Trace Elements from Soil to Human. New York: Springer, 283-292p.

Lima FS, Nascimento CWA & Sousa CS (2015) Zinc fertilization as an alternative to increase the concentration of micronutrients in edible parts of vegetables. Agrária Revista Brasileira de Ciências Agrárias, 10:403-408.

Macêdo EMC, Amorim MAF, Silva ACS & Castro CMMB (2010) Efeitos da deficiência de cobre, zinco e magnésio sobre o sistema imune de crianças com desnutrição grave. Revista Paulista de Pediatria, 28:329-336.

Moraes MF, Nutti MR, Watanabe E & Carvalho JLV (2009) Práticas agronômicas para aumentar o fornecimento de nutrientes e vitaminas nos produtos agrícolas alimentares. In: I Simpósio Brasileiro de Apropecuária Sustentável. Viçosa, UFV. p.299-312.

Moraes MF, Pascoalino JAL, Alves SJF, Nutti MR & Carvalho JLV (2012) Biofortificação alternativa à segurança nutricional. Jornal Informações Agronômicas, 140:9-15.

NEPA. Núcleo de Estudos e Pesquisas em Alimentação (2011) Tabela Brasileira de Composição de Alimentos – TACO. São Paulo, UNICAMP, p. 32-33.

Nutti MR, Carvalho JLV & Watanabe E (2005) A biofortificação como ferramenta para combate a deficiências em micronutrientes. In: Geologia médica no Brasil: efeitos dos materiais e fatores geológicos na saúde humana, animal e meio ambiente. Rio de Janeiro, CPRM. p. 43-47.

Pascoalino JAL (2014) Estratégias de Adubação com Zinco para Biofortificação Agronômica do Trigo. Curitiba, UFPR, 64p.

Pathak GC, Gupta B & Pendey N (2012) Improving reproductive efficiency of chickpea by foliar application of zinc. Brazilian Journal of Plant Physiology, 24:173-180.

Portz L, Dias CTS & Cyrino JEP (2000) A broken-line model to fit fish nutrition requirements. Scientia Agricola, 57:601-607.

Prado RM (2008) Nutrição de Plantas. São Paulo, UNESP, 408p.

Rios AS, Alves KR, Costa NMB & Martino HSD (2009) Review: Biofortificação: culturas enriquecidas com micronutrientes pelo melhoramento genético. Revista Ceres, 56: 713-718.

Robbins KR, Saxton AM & Southern LL (2006) Estimation of nutrient requirements using broken-line regression analysis. Journal of Animal Science, 84:E155-E165.

Sandall L (2015) Soils - Characteristics of Fertilizer Materials. Plant & Soil Sciences eLibrary, 8:7-8.

Silva AA, Couto Junior PA, Lana AMQ & Lana RMQ (2014) Teores de micronutrientes no solo e foliar com aplicação de fontes quelatadas e sulfatadas em feijão. Revista Engenharia Agrícola, 34:28-37.

Silva AP, Vitolo MR, Zara LF & Castro CF (2006) Effects of zinc supplementation on 1-to-5-year old children. Jornal de Pediatria, 82:227-231.

Silva FC (2009) Manual de análises químicas de solos, planta e fertilizantes. Boletim Técnico do Centro de Tecnologia Agrícola e Alimentar. 2ª ed. Brasília, Embrapa, 624p.

Smical AI, Hotea V, Oros V, Juhasz J & Pop E (2008) Studies on transfer and bioaccumulation of heavy metals from soil into lettuce. Environmental Engineering and Management Journal, 7:609-615.

White PJ & Broadley MR (2005) Biofortifying crops with essential mineral elements. Trends in Plant Science, 10:586-593.

Yilmaz A, Ekiz H, Torun B, Gultekin I, Karanlik S, Bagci SA & Cakmak I (1997) Effect of different zinc application methods on grain yield and zinc concentration in wheat grown on zinc-deficient alcareous soils in Central Anatolia. Journal of Plant Nutrition, 20:461-471.

Zapelini MB and Zapelini SMKC (2007) Metodologia Científica e da Pesquisa. Florianópolis, Faculdade Energia de Administração e Negócios, 200p.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.