Coeficiente de cultivo da cenoura para o agreste alagoano

JULIANNA CATONIO DA SILVA, CINARA BERNADO DA SILVA, DANIELLA PEREIRA DOS SANTOS, MÁRCIO AURÉLIO LINS DOS SANTOS, WANDERSON JOSÉ DE OLIVEIRA, LÍGIA SAMPÁIO REIS

Resumo


O coeficiente de cultivo de uma cultura é uma das principais informações necessárias para o manejo adequado da irrigação e para desenvolver um plano eficiente de uso da água. O objetivo deste trabal[1]ho foi encontrar um coeficiente de cultivo da cultura da cenoura para a região rural de Alagoas. O experimento foi realizado no Campus Arapiraca da Universidade Federal de Alagoas, localizado na mesorregião Agreste do Estado de Alagoas. Foram utilizados 5 lisímetros de drenagem, com uma área de superfície de 0,07 m2. Uma análise comparativa dos modelos matemáticos de estimativa de evapotranspiração de referência foi realizada utilizando os seguintes métodos: Penman-Monteith, Hargreaves-Samani, Radiação Solar Blaney-Criddle e Priestley-Taylor. A determinação da evapotranspiração da cultura foi realizada diariamente, através da coleta de água dos drenos tirados diretamente dos lisímetros de drenagem. O coeficiente de cultivo foi calculado pela relação entre evapotranspiração da cultura e evapotranspiração de referência. Os valores de evapotranspiração de referência obtidos pelo método Priestley-Taylor apresentaram os melhores desempenhos para os métodos estatísticos estudados, e na ausência das variáveis necessárias para determinar a evapotranspiração de referência pelo método padrão, eles podem ser preferencialmente feitas as correções pela equações obtidas, para serem usadas na determinação da evapotranspiração de referência. O coeficiente de cultivo para a cultura da cenoura recomendado para a região é de 0,46; 1,3; 1,3 e 1,03 para as fases I, II, III e IV, respectivamente, pelo método padrão.

 


Palavras-chave


lisimetro de drenagem; horticultura; consumo de água.

Referências


Allen RG, Pereira SL, Raes D & Smith M (1998) Crop evapotranspiration - Guidelines for computing crop water requirements. Irrigation and Drainage. 56p.

Alencar LP, Delgado RC, Almeida TS & Wanderley HS (2011) Comparação de diferentes métodos de estimativa diária da evapotranspiração de referência para a região de Uberaba. Revista Brasileira de Ciências Agrárias, 6:337-343.

Alencar LP, Sediyama GC & Mantovani EC (2015) Estimativa da evapotranspiração (ET0 padrão FAO), para Minas Gerais, na ausência de alguns dados climáticos. Revista Engenharia Agrícola, 35:39-50.

Almeida BM, Araújo EM, Cavalcante Júnior EG, Oliveira JB, Araújo EM & Nogueira BRC (2010) Comparação de métodos de estimativa da ETo na escala mensal em Fortaleza-CE. Revista Brasileira de Agricultura Irrigada, 4:93-98.

Alves ES, Lima DF, Barreto JAS, Santos DP & Santos MAL (2017) Determinação do coeficiente de cultivo para a cultura do rabanete através de lisimetria de drenagem. Revista Irriga, 22:194-203.

Araujo G, Reis EF, Martins CAS, Barbosa VS & Rodrigues RR (2011) Desempenho comparativo de métodos para a estimativa da evapotranspiração de referência (ETo). Revista Brasileira de Agricultura Irrigada, 5:84–95.

Carvalho ADF, Silva GO & Resende FV (2017) Adaptabilidade e estabilidade de populações de cenoura pelo método REML/BLUP. Horticultura Brasileira, 35:69-74.

Cavalcanti Junior EG, Almeida BM, Oliveira AD, Espinola Sobrinho J, Araújo EM & Vieira RY (2010) Estimativa da evapotranspiração de referência para a cidade de Mossoró-RN. Revista Brasileira de Agricultura Irrigada, 4:87-92.

Chagas RM, Faccioli GG, Aguiar Netto AO, Sousa IF, Vasco NA & Silva MG (2013) Comparação entre métodos de estimativa da evapotranspiração de referência (ETo) no município de rio Real-BA. Irriga, 18:351-363.

Doorenbos J & Pruitt JO (1977) Guidelines for predicting crop water requeriments. FAO lrrigation and Drainage. 179p.

Embrapa - Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (2013) Sistema brasileiro de classificação de solos. Centro Nacional de Pesquisas de Solos, Rio de Janeiro. 353p.

Frevert DR, Hill RW & Braaten BC (1983) Estimation of FAO evapotranspiration coeficients. journal of irrigation and drainage, 109:265-270.

Jensen ME, Burman RD & Allen RG (1990) Evapotranspiration and Irrigation Water Requirements. New York, The American Society of Civil Engineers. 332p.

Lima Junior JC, Arraes FDD, Oliveira JB, Nascimento FAL & Macêdo KG (2016) Parametrização da equação de Hargreaves e Samani para estimativa da evapotranspiração de referência no Estado do Ceará, Brasil. Revista Ciência Agronômica, 47:447-454.

Lucena FAP, Silva EM, Ribeiro AA, Simeão M & Lucena JPAP (2016) Comparação entre métodos de estimativa da evapotranspiração de referência no município de Bom Jesus, PI. Revista Brasileira de Agricultura Irrigada, 10:663-675.

Lyra GB, Santos MJ, Souza JL, Lyra GB & Santos MA (2011) Espacialização da temperatura do ar anual para o estado de Alagoas com diferentes modelos digitais de elevação e resoluções espaciais. Ciência Florestal, 21:275-287.

Mendonça EA & Dantas R (2010) Estimativa da evapotranspiração de referência no município de Capim, PB. Revista Brasileira de Engenharia Agrícola e Ambiental, 14:196-202.

Miranda LM, Carvalho LG, Neto PC & Santos PAB (2016) Utilização do lisímetro de drenagem para obtenção do Kc da mamoneira em plantio adensado. Revista Verde de agroecologia e desenvolvimento sustentável, 11:08-13.

Moura ARC, Montenegro SGL, Antonino ACD, Azevedo JRG, Silva BB & Oliveira M (2013) Evapotranspiração de referência baseada em métodos empíricos em Bacia experimental no estado de Pernambuco – Brasil. Revista Brasileira de Meteorologia, 28:181-191.

Oliveira RA, Rocha IB, Sediyama GC, Puiatti M, Cecon PR & Silveira SFR (2003) Coeficientes de cultura da cenoura nas condições edafoclimáticas do Alto Paranaíba, Minas Gerais. Revista Brasileira de Engenharia Agrícola e Ambiental, 7:280-284.

Oliveira VMR, Dantas GF, Palaretti LF, Dalri AB, Santos MG, & Ficher Filho JA (2015) Estimativa de evapotranspiração de referência na região de rio Paranaíba-MG. Irriga, 20:790-798.

Pereira AR, Manieiro MA, Villa nova NA & Se GC (1997) Evapo(transpi)ração. Piracicaba, FEALQ. 183p.

Santos CS, Santos DP, Oliveira WJ, Silva PF, Santos MAL & Fontenele AJPB (2016) Evapotranspiração de referência e coeficiente de cultivo da pimenteira no Agreste Alagoano. Revista Brasileira de Agricultura Irrigada, 10:883-892.

Santos FX, Montenegro AAA, Silva JR & Souza ER (2009) Determinação do consumo hídrico da cenoura utilizando lisímetros de drenagem, no agreste pernambucano. Revista Brasileira de Ciências Agrárias, 4:304-310.

Silva TGF, Moura MSB, Zolnier S, Soares JM, Vieira VJS & Júnior WGF (2012) Requerimento hídrico e coeficiente de cultura da cana-de-açúcar irrigada no semiárido brasileiro. Revista Brasileira de Engenharia Agrícola e Ambiental, 16: 64-71.

Tanaka AA, Souza AP, Klar AE, Silva AC & Gomes AWA (2016) Evapotranspiração de referência estimada por modelos simplificados para o Estado do Mato Grosso. Pesquisa Agropecuária Brasileira, 51:91-104.

Willmott CJ, Ackleson SG, Davis RE, Feddema JJ, Klink KM, Legates DR, Rowe CM & O’Donnell J (1985) Statistics for the evaluation and comparison of models. Journal of Geophysical Research, 90:8995-9005.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.